Simples como amar

Ontem eu vi um filme sobre a vida de uma menina excepcional  que se apaixonava por um menino excepcional.

E de verdade eles era realmente excepcionais! Amavam como ninguém!

Sem jogos, sem trapaças, sem mentiras... o único artifício era a verdade, exposição dos sentimentos, assim simples. Quantas pessoas ditas “normais” conseguem fazer isso?

Meu último namoro, por exemplo, acabou pela inabilidade da entrega de dizer a verdade.

Taí uma coisa que podíamos aprender com eles. Observar e aprender a arte da entrega.

Sentimentos postos assim, as claras, sem medo do que o outro fará com a informação, com certeza de que ele ouvirá e apenas entenderá... como tem que ser.

Nada de cobranças, de sustos, de medos, tudo resumido a doar e receber.